Barbieri 8 min de leitura

Relatando o impacto de acordo com os padrões GRI: O desafio de integrar a contabilidade de impacto às empresas

Cada vez mais as empresas buscam tornar seu impacto socioambiental mais transparente. Compartilhamos com vocês esta nota de Juan Francisco Barbieri sobre a importância de se fazer um Relatório Integrado dentro dos padrões GRI e como foi a experiência na Barbieri.

 

A contabilidade convencional, como a conhecemos, levou mais de 200 anos para se consolidar sob uma estrutura de padrões reconhecidos internacionalmente. Por outro lado, a contabilidade de impacto começou a ser considerada há algumas décadas e hoje está em construção.

 

Por que é difícil medir o impacto?

A contabilidade empresarial convencional é simples e reducionista, pois mede apenas resultados "internos". Atualmente, uma empresa é medida e gerenciada internamente para cumprir seus objetivos. Tem INPUTS (recursos financeiros, experiência, tempo, etc.), gera certas ATIVIDADES e mede os seus OUTPUTS com base nos rendimentos e benefícios que obtém.

Essa contabilidade convencional significa que as empresas não assumem uma responsabilidade real ampliada com o desenvolvimento sustentável de seu meio ambiente.

Por outro lado, a contabilidade de impacto é sistêmica e complexa, pois se propõe a mensurar os resultados “externos” das mudanças sociais ou ambientais atribuíveis a uma empresa. Esses impactos podem ser positivos ou negativos, intencionais e não intencionais. E a dificuldade é que o controle absoluto dos impactos esperados não pode ser alcançado porque as relações de causa e efeito nem sempre são facilmente atribuíveis

 

Evolução em direção à contabilidade de impacto

Em 1776, o economista Adam Smith formulou uma das teorias econômicas mais reconhecidas. Essa teoria é conhecida como “Mão Invisível” e explica como os mercados devem funcionar sozinhos, sem legislação, e assim encontrar um equilíbrio ótimo para a sociedade. O efeito combinado de todos buscando os seus próprios interesses beneficiariam o conjunto.

Hoje, a necessidade de reformular a teoria incorreta de Adam Smith é evidente. Mudar o foco de "EU" para "NÓS", para desenvolver uma nova teoria que seja igualmente capaz de beneficiar o desenvolvimento econômico e oferecer equilíbrios ótimos reais para a sociedade. Repensar a responsabilidade das empresas em gerar impactos socioambientais positivos que posteriormente são revertidos em nível sistêmico em ganho econômico para a empresa. 

É preciso reinventar o “capitalismo” como o conhecemos e repensar as empresas como atores sociais com a responsabilidade de contribuir para o desenvolvimento sustentável das comunidades.

 

O que é GRI?

Em 1997, surgiu o Global Reporting Initiative ou Global Reporting visando aumentar a qualidade da elaboração dos relatórios de sustentabilidade, até se equiparar aos relatórios financeiros em termos de comparabilidade, rigor, credibilidade, periodicidade e verificabilidade.

A iniciativa Global Report é uma instituição independente que criou o primeiro padrão global de diretrizes para a elaboração de relatórios de sustentabilidade para as organizações que buscam mensurar seus impactos econômicos, ambientais e sociais de forma integrada.

 

Barbieri: Relatando nosso impacto de acordo com os padrões da GRI

Na Barbieri, nosso primeiro Relatório Integrado sob os padrões GRI é uma etapa fundamental na evolução rumo a um paradigma de negócios de Triplo Impacto, tornando transparente e quantificando a gestão do nosso impacto para o período 2020-2021.

Para a sua elaboração, foi realizada uma Análise de Materialidade com o objetivo de identificar os temas materiais mais relevantes para comunicar, de forma assertiva e transparente, os impactos econômicos, sociais e ambientais.

Este ano entendemos que um relatório nos padrões GRI é uma ferramenta poderosa que desafia e permite um entendimento profundo da mudança que uma empresa pode gerar na sociedade por meio de seus negócios.

A contabilidade convencional, como a conhecemos, apenas produz informações financeiras para o acionista, é uma declaração política em que o único ator que importa é o acionista.

Por outro lado, um Relatório sob as normas GRI explica, materializa e quantifica como as atividades empresariais devem produzir uma série de resultados que contribuem para convergir para uma nova Contabilidade de Impacto.

A avaliação e gestão de impacto é um caminho que as empresas percorrem para se tornarem atores com capacidade de cooperação de seus negócios para oferecer soluções aos desafios socioambientais da atualidade.

Esperamos que, na próxima década, possamos evoluir como humanidade para convergir para uma Contabilidade de Impacto que integre todos os atores da sociedade. Uma contabilidade com legislação que estenda a finalidade da produção de dados financeiros à incorporação do retorno socioambiental das empresas.

Da nossa posição na BARBIERI, assumimos o compromisso de reportar de acordo com as normas GRI a partir de agora e continuaremos a trabalhar para melhorar a qualidade de vida das pessoas, oferecendo “Soluções construtivas para obras sustentáveis”, sob o nosso propósito “Construindo Futuro, Construindo Família "..

 

Mais informações

Para saber mais sobre o sistema visite o site, o blog ou entre em contato conosco. O diálogo constante com os nossos clientes e usuários nos permite obter informação valiosa sobre o que cada um precisa para continuar crescendo.

 

Acesse aqui e conheça os produtos da Barbieri do Brasil