A contribuição do Steel Frame para a redução do consumo de água na construção

 

Falamos sobre o impacto do setor da construção no consumo deste valioso recurso e como o Steel Frame pode ajudar a reduzi-lo.

 

A água está presente em cada ciclo de construção: não só nas fases de execução da obra e na obra concluída, mas também na produção dos materiais que são utilizados para a construção da referida obra, que pode requerer grandes quantidades deste recurso.

Uma construção sustentável deve garantir que o impacto no ciclo da água seja reduzido em todas as suas fases, incluindo os processos construtivos, o que implica uma utilização racional, evitando a contaminação dos lençóis freáticos e dos cursos de água.

O 70,8% da superfície terrestre é ocupada por água, mas apenas 2,5% de toda a água existente no planeta é doce, ou seja, própria para consumo. Destes, a maioria é inacessível nas geleiras, nos polos, etc., então temos apenas 1% para o consumo, que é água subterrânea ou superficial. Esta é uma razão poderosa pela qual devemos ter cuidado e reduzir o consumo de água tanto quanto possível [1].

Princípios para uma gestão eficiente e sustentável dos recursos hídricos

Há mais de um quarto de século, na “Conferência Internacional de Dublin sobre Água e Meio Ambiente”, em janeiro de 1992, foram proclamados princípios para uma gestão eficiente e sustentável dos recursos hídricos. Eles são::

  • A água doce é um recurso finito e vulnerável, essencial para sustentar a vida, o desenvolvimento e o meio ambiente. Este princípio defende a consciência da importância da água.
  • O uso e a gestão da água devem ser inspirados por uma abordagem baseada na participação de usuários, planejadores e tomadores de decisão em todos os níveis. Para isso, a abordagem atual de gestão da água deve ser substituída por uma visão mais abrangente e sistêmica, onde a água está vinculada ao planejamento e ao desenvolvimento urbano e comunitário no âmbito de políticas de sustentabilidade sistêmicas.
  • A água tem um valor econômico em todos os seus diversos usos para os quais se destina e deve ser reconhecida como um bem econômico. Portanto, deve-se dar atenção para a eficiência e a equidade no uso da água.

Intervenção da água na construção úmida

O setor da construção é responsável por 16% do consumo mundial de água [2]. A água na construção intervém de várias maneiras:

  1. Como a água é utilizada no processo de fabricação de materiais de construção. Embora os consumos por unidade (ton, m3) sejam geralmente elevados, as indústrias de materiais de construção têm atuado de forma sistemática para reduzi-los, aplicando critérios de reciclagem de água em seus processos.
  2. Como componente essencial do processo: são aquelas atividades que requerem este recurso como elemento essencial, sem o qual tal ação seria impossível de realizar. É o caso do concreto, gesso, tinta à base de água, etc.
  3. Como parte do processo ou material: é o caso de tarefas que usam água em alguma instância para produzir uma determinada reação. Podemos citar a irrigação de caixarias, uso para refrigeração, entre outros.
  4. Auxiliar: quando o consumo se limita à preparação de materiais e instrumentos para a realização das atividades. Ferramentas e equipamentos de limpeza, por exemplo.
  5. Como parte de controles ou testes. É o caso das tarefas que utilizam o recurso para avaliar e testar as etapas concluídas da obra. Este grupo inclui o teste de instalações hidráulicas, a verificação das coberturas, etc.

Segundo trabalho do Prof. Arturo Dubravcic Alaiza, o consumo total de água numa moradia unifamiliar com área entre 100 e 200 m², com estrutura de concreto e paredes de tijolo, excluindo a água utilizada na fabricação dos materiais de construção, é a seguinte:

Consumo total de água no local com estrutura de concreto e paredes de tijolo:

  • 22,71% como componente essencial do processo.
  • 61,81% no processo de construção ou material.
  • 14,13% como recurso auxiliar.
  • 1,35% como parte de controles ou testes.

Uma primeira conclusão é que ao reduzir o consumo de água como parte do processo e como componente essencial do processo, estaremos atuando em quase 85% do consumo total.

E é aí que se evidenciam os benefícios do Steel Frame como sistema construtivo, visto que esses consumos podem ser reduzidos a praticamente zero, por não utilizar água na execução da estrutura ou na execução de isolamento e alguns revestimentos.

Sejamos protagonistas da mudança

Embora seja através da análise dos 5 pontos listados acima e referentes a uma determinada edificação, que será possível determinar exatamente a quantidade total de água utilizada por m² de superfície construída, é claro que os sistemas construtivos secos têm a vantagem de não usar água no processo da obra.

É por isso que convidamos construtores, investidores, arquitetos e todos aqueles atuando em atividades relacionadas com a área da construção, a considerar a autoanálise dos seus processos construtivos de forma a incorporar construções sustentáveis ​​no esquema básico da edificação, um pequeno esforço de reestruturação no planejamento da obra é suficiente para obter ótimos resultados na economia e principalmente para as pessoas e o planeta.

 

[1] Ambientum. Disponível online: www.ambientum.com/enciclopedia_medioambiental/aguas/el-consumo-de-agua-en-porcentajes.asp

[2] Economizando água na construção, seu uso, reciclagem e tratamento. Comissão Capbauno de Sustentabilidade.

 

Mais informações

Para saber mais sobre o sistema visite o site, o blog ou entre em contato conosco. O diálogo constante com os nossos clientes e usuários nos permite obter informação valiosa sobre o que cada um precisa para continuar crescendo.

 

Acesse aqui e conheça os produtos da Barbieri do Brasil